periquitos onda
... ...
E DO SEU ANIMAL

Displasia do cotovelo

A displasia do cotovelo é uma anormalidade óssea da articulação entre o úmero e o rádio e cúbito, que provoca dificuldades de funcionamento e dor no membro anterior.

Esta patologia encontra-se predominantemente nas mesmas raças que a displasia coxo-femural, ou seja, nas raças grandes e gigantes, e tem uma etiologia muito semelhante. Também nesta patologia a componente hereditária é elevada, estimando-se uma hereditariedade compreendida entre os 25% e os 45%.

A doença ocorre com mais frequência nos machos, surgindo os primeiros sintomas entre os 4 e os 8 meses de idade.

Um dos sinais mais precoces que pode fazer desconfiar da existência da patologia é o cachorro coxear temporariamente de um ou mesmo dos dois membros anteriores, claudicação essa que vai tendo uma frequência cada vez mais notória; relutância à flexão do membro ou mesmo sinais de dor quando se faz essa flexão de forma forçada. Outro dos sinais indicadores da patologia é o desvio dos cotovelos para baixo do peito e dificuldade em se levantar após o exercício.

Como na displasia coxo-femural o diagnóstico é radiológico e,também neste caso, deve ser realizado tão cedo quanto o possível para permitir uma correcção cirúrgica eficaz.

Em que consiste a correcção cirúrgica?

Existem dois tipos mais frequentes de cirurgias correctivas da situação, que se realizam sobre o cúbito e que consistem, em termos gerais, no corte de uma pequena porção deste osso (ostectomia), no caso de detecção do problema no cachorro, ou na secção deste osso (osteotomia) numa zona mais próxima do cotovelo quando o animal é adulto. Ambas as técnicas têm em vista aliviar a pressão anormal que se exerce sobre a articulação e, deste modo, aliviar a dor e a evolução certa para a artrose. Não se esqueça que a qualidade de vida do seu amigo depende de si e de um diagnóstico precoce.

Que devo fazer se suspeitar que o meu cão sofre de displasia?

Consultar o seu Médico Veterinário rapidamente para que possa ajudá-lo. Se for cachorro, a ostectomia do cúbito e o seguimento de um protocolo apropriado poderá fazer com que ele não venha a ter sintomas. Se for adulto, a osteotomia do cúbito evitará a evolução dos problemas articulares e não se esqueça que, quanto mais cedo for diagnosticado o problema, mais hipóteses existem de atrasar o processo degenerativo e de lhe dar qualidade de vida por mais tempo.

Operação

Onde me dirigir?

Em primeiro lugar ao seu Médico Veterinário Assistente. Se esta área estiver fora da sua actividade clínica normal, ele o encaminhará para um centro de atendimento veterinário habituado a lidar com estes casos.

Se esse Colega lhe recomendar que nos visite no Hospital Animal do Sul, não deixe de nos contactar previamente para efectuar uma marcação (Tel. 289 818 000) e não se esqueça que o diagnóstico é radiológico e que o animal tem de ser anestesiado, portanto, tem de vir em jejum de, pelo menos, 4 horas.

Com que idade me devo preocupar?

Se o seu cachorro tem entre os 4 e os 8 meses de idade e pertence a uma raça predisposta a esta patologia, deve procurar o seu Médico Veterinário se notar qualquer claudicação não justificável por traumatismo ou se ela aparece após exercício.

Posso fazer algo para controlar o problema?

Acima de tudo, não queira que o cachorro cresça demasiado depressa, utilize rações apropriadas que lhe serão indicadas pelo Médico Veterinário, e não dê cálcio se este não lhe for prescrito pelo seu veterinário.

A qualidade de vida do seu amigo pode depender da precocidade do diagnóstico. Por favor, não atrase a ida ao Médico Veterinário.

 

 

Página Inicial \ A saúde do seu animal \ Doenças mais comuns de cães e gatos \ Displasia do cotovelo

 

... ...
  termosTermos de utilização mapaMapa do site contactoContactos ajudaAjuda